Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
Penápolis, 19 de abril de 2018
Data: 08/06/2017 Hora: 13:40:12
Ivan Sammarco defende audiência pública sobre animais

O vereador Ivan Sammarco (PPS),  discursou segunda-feira, dia 5, na Câmara Municipal, em defesa da ampliação da discussão e levantamento de propostas sobre os animais em Penápolis. A iniciativa foi motivada em repercussão  ao caso de patos e gansos no Parque Santa Leonor. Ivan Sammarco disse que a situação polêmica deve ser aproveitada para ampliar o debate no setor, incluindo cuidados para efetivação de castração de cães e gatos através da administração municipal. "É o momento oportuno para fazermos uma grande discussão em audiência pública, envolvendo a Associação Protetora dos Animais e toda a comunidade", disse Ivan Sammarco.

O vereador Carlos Alberto Soares da Silva, o "Carlão da Educação" (PPS), também falou sobre  castração de animais. "A administração municipal conta com 3 veterinários. Tem que ser feito planejamento para que pelo menos 1 deles comece a atender gradativamente a castração de animais".

LDO:  Pela segunda vez, a   Câmara Municipal  adiou a votação em 1ª discussão, do projeto do Executivo  da Lei das Diretrizes Orçamentárias (LDO), de 2018.  A medida busca mais estudos  e informações, principalmente sobre gastos com  pessoal e taxa de incêndio.

Por unanimidade, o Legislativo aprovou em 2ª e última discussão, projeto  de permissão de falta  no trabalho pelos servidores municipais  para acompanhamentos de filho menor de 18 anos de idade, genitores acima de 65 anos em sendo filho único, cônjuge ou companheiro acima de 65 anos, em consulta médica, após esgotar os 6 abonos de falta e banco de horas.

Funeral: A Câmara Municipal adiou por duas semanas,  projeto de lei apresentado pelo Executivo para regulamentação de concessão de eventual auxílio funeral pelo Serviço Municipal de Assistência Social. O prazo aprovado busca aprimoramento da propositura. Entre as considerações dos vereadores, Evandro  Tervedo Novaes (DEM), apontou comprometimento do benefício por artigo que exclui atendimento para os casos de  quem deixa  bens a inventariar. "Por pior que seja a situação econômica de uma pessoa, comum deixar um bem a inventariar e da forma que o projeto está, não poderia haver o auxílio funeral", disse o democrata.

Enviar esta notícia para um amigo

Reportar erro

Data: 08-06-2017 13:40:12